Plano Geral Urbanístico do Parque Olímpico Rio 2016

BR, Rio de Janeiro

Tipologia

Cultura Desporto e Lazer
Desenho Urbano
Urbanismo

Cliente

Rio Prefeitura

Data

2011

Área do terreno

1 180 000 m2

Estado

Concurso - 1ª menção honrosa

 

22°58'38.0, 43°23'40.0
ver no mapa
Um Plano com três Tempos – três Modos – fixa o traçado que orientará o desenvolvimento da construção e do espaço público.

O Plano inspira-se no desenho de Lúcio Costa impresso na margem oposta da lagoa. Uma grelha de triângulos equiláteros ordena a construção da malha viária que define as quadras.

O traçado – a geometria que ordena o terreno e a construção – é o princípio fundador do Plano. De aqui decorrem as definições de áreas permeáveis e impermeabilizáveis, dos caminhos da água, do traçado viário e da sua hierarquia, das redes de infraestrutura, do modo de lotear o terreno e as regras a cumprir pela edificação.

No Modo Jogos, o Plano resolve a segregação dos fluxos de espectadores (a pé) e de serviços (motorizados) modelando o terreno, definitivamente, sem infraestruturas efémeras ou descartáveis. Da mesma maneira, no Modo Legado, o Plano levanta o tema moderno do chão liberado, da devolução do solo aos peões e aos modos suaves de transporte, segregando, em cotas diferentes, a circulação motorizada e o estacionamento automóvel.

O Cenário de Ocupação ilustra a concretização, no Modo Legado, das regras geométricas e da multifuncionalidade de usos propostas pelo Plano. Ilustra também a utilização da totalidade do Potencial Construtivo da Área, cumprindo simultaneamente o Plano e a normativa urbanística em vigor.

Os alinhamentos dos edifícios de habitação ou de uso misto formam ruas-corredor virtuais que organizam a vista sobre as paisagens.

Em todo o espaço exterior será assegurada uma rede coerente, contínua, legível e abrangente de percursos pedonais que constitui um padrão legado da atitude inclusiva dos Jogos que perdurará sempre no espaço público.

O Plano propõe uma Ponte Pedestre e Ciclável, que integrará a rede urbana de transportes suaves, a racionalização dos sistemas de infraestruturas, a Automatização da Gestão Técnica e a Monitorização e Informação Ambiental.

Da concentração dos elementos que constituirão o Centro Olímpico de Treinamento resulta uma área complementar, sem descontinuidades, para o programa de edificação do Modo Legado que corresponde a 60% da área de intervenção.

O Regulamento do Plano e os ensinamentos do Movimento Moderno, serão fonte inspiradora do desenho de edifícios amigos do ambiente.

As propostas do Plano contrariam a utilização privada do piso térreo, indicado o caminho para a construção progressiva de um espaço público partilhado, na “visão de uma cidade para todos”.

PT / EN / FR
© Copyright 2018 MVCC Arquitectos. Concepção FBA.